- Acabou Chorare (1972)

1- Brasil Pandeiro
2- Preta, pretinha
3- Tinindo, trincando
4- Swing de campo grande
5- Acabou chorare
6- Mistério do planeta
7- A menina dança
8- Besta é tu
9- Um bilhete pra Didi
10- Preta, pretinha



1- Brasil Pandeiro
(Assis Valente)

Chegou a hora
Dessa gente bronzeada
Mostrar seu valor
Eu fui à Penha
Pedir à Padroeira
Pra ela me ajudar
Salve o morro do vintém,
Pendura a saia
Eu quero ver, eu quero ver
O Tio Sam tocar pandeiro
Para o mundo sambar
O Tio Sam está querendo
Conhecer a nossa batucada
Anda dizendo que o molho da baiana
Melhorou seu prato
Vai entrar no cuscuz, acarajé e abará
Na Casa Branca já dançou
A batucada de Iôiô e Iaiá
Há quem sambe diferente
Noutras terras, outra gente
Num batuque de matar
Batucada reuni seus valores,
Pastorinhas e cantores
Expressão que não tem par

Brasil esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreros
Que nós queremos sambar



2- Preta, pretinha
(Morais/ Galvão)

Enquanto eu corria
Assim eu ia lhe chamar
Enquanto corria a barca

Por minha cabeça não passava
Só, somente só
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser

Abre a porta e a janela
E vem ver o sol nascer
Eu sou um pássaro
Que vivo avoando
Vivo avoando
Sem nunca mais parar
Ai, ai, saudade
Não venha me matar



3- Tinindo, trincando
(Morais/ Galvão)

Eu vou assim
Tirau
E venho assim
Tirau

Porque quem vai de não
Não chega, não
Chega não
Porque pra ir
Só mesmo assim
Só mesmo assim
Só mesmo assim
Assim!

Um dia assim
Tirau
Um dia assado
Tirau
Um dia assim
No duro tinindo
Tinindo trincando

No duro tinindo
Tinindo trincando



4- Swing de campo grande
(Paulinho/ Morais/ Galvão)

Minha carne é de carnaval
Meu coração é igual

Àqueles que têm uma seta
Em quatro letras de a-m-o-r
Por isso
Onde quer que eu ande
Em qualquer pedaço
Eu faço
Um campo grande
Um campo grande

Eu não marco touca
Eu viro touca,
Eu viro moita



5- Acabou chorare
(Morais/ Galvão)

Acabou chorare,
Ficou tudo lindo
De manhã cedinho
Tudo cá-cá-cá
Na fé-fé-fé
No bu-bu-li-lindo
No bu-bu-bolindo

Talvez belo buraquinho
Invadiu-me a casa
Me acordou na cama
Tomou meu coração
E sentou na minha mão

Abelha, abelhinha
Acabou chorare
Faz um zum-zum pra eu ver
Faz zum-zum e mel

Inda de lambuja
Tem o carneirinho
Presente na boca
Acordando toda gente
Tão suave mé,
Que suavemente

Acabou chorare
No meio do mundo
Respirei fundo
Foi-se tudo pra escanteio
Vi o sapo na lagoa
Entre nessa que é boa
Fiz zum-zum e pronto



6- Mistério do planeta
(Morais/ Galvão)

Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso
Jogando meu corpo no mundo
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros
E deixo e recebo um tanto
Passo aos olhos nús
Ou vestidos de lunetas
Passado, presente
Participo sendo
O mistério do planeta
Que passo por e sendo ele
No que sigo o meu caminho
E no ar que fez que assistiu
Abra um parenteses
Não esqueça
Que independente disso
Eu não passo
De um malandro
De um moleque do Brasil
Que peço e dou esmolas
Mas ando sempre
Com mais de um
Por isso ninguém
Vê minha sacola



7- A menina dança
(Morais/ Galvão)

Quando cheguei
Tudo, tudo,
Tudo estava virado
Apenas viro, me viro
Mas eu mesma
Viro os olhinhos

Só entro no jogo porque
Estou mesmo depois
Depois de esgotar
O tempo regulamentar
De um lado o olho desaforo
E o que diz o meu nariz arrebitado
E não levo pra casa
Mas se você vem perto eu vou lá

No canto do cisco
No canto do olho
A menina dança
Dentro da menina
Ainda dança
E se você fecha o olho
A menina ainda dança
Até o sol raiar
Até o sol raiar
Até dentro de você nascer
Nascer o que há!



8- Besta é tu
(Pepeu/ Morais/ Galvão)

Besta é tu
Besta é tu
Besta é tu
Besta é tu
Não viver nesse mundo
Besta é tu
Besta é tu
Besta é tu
Se não há outro mundo

Porque não viver
Não viver nesse mundo
Porque não viver
Se não há outro mundo
E pra ter outro mundo
É preci-necessário
Vir ver
Viver contanto
Em qualquer coisa

Olha só, olho o sol
O Maraca domingo
O perigo na rua
O brinquedo, menino
Ah, morena do Rio
Pela morena eu passo
O ano olhando o Rio
Eu não posso com
Um simples brinquedo
Eu me posso, me quebro,
Entrego o ouro

Mas isso é só porque ela
Se derrete toda
Só porque eu sou baiano



9- Um bilhete pra Didi
(Morais/ Galvão)
Intrumental: Conjunto A Cor do Som



:: Vídeos ::

Dona Nita e Dona Helena (1970)



Sou mais você/ Curto de véu e grinalda (1970)



Preta pretinha (1973)



A menina dança (1973)



Brasil pandeiro (1973)



Mistério do Planeta (1973)



Samba da minha terra (1973)



Sorrir e cantar como Bahia (1973)



Brasil Pandeiro (1973)



Ladeira da Praça (1973)



Preta Pretinha (1973)



Linguagem do Alunte (1973)



Na cadência do samba (1974)



Vamos pro mundo/ Brasileirinho (1974)



Beija-flor (1976)



Ziriguidum (1976)



Praga de baiano (1976)



A menina dança (1997)



Eu sou o caso deles (1997)



Mistério do Planeta (1997)



Brasil Pandeiro (1997)



A menina dança (1997)



Anos 70 (1998)



Samba da minha terra (1998)



Dê um rolê (1998)





:: Links ::

Baby do Brasil
Portal SNZ
Sarah Sheeva
Zabelê Gomes

           

¤ Essa página foi criada por F®ëðy§ÑZ em homenagem ao grupo pós-tropicalista Novos Baianos - 2008 ¤