- Os Novos Bahianos - Compacto Simples (1969)


1- Colégio de aplicação
2- De Vera



Colégio de aplicação
(Morais/ Galvão)

No céu azul,
Azul fumaça
Uma nova raça
Saindo dos prédios
Para as praças
Uma nota

No céu azul,
Azul fumaça
Uma nova raça
As palavras correm
Pelos pensamentos

No céu azul,
Azul fumaça
Na geração em busca
Nem o bem, nem o mal
O próprio passo É a razão



De Vera
(Morais/ Galvão)

Falando de Vera e da primavera
Falando de Vera e da primavera
Só me sinto bem quando vem, quando vem
Vem a primavera
Só me sinto bem quando vem, quando vem
Vem a primavera

Com seus passos mansos, leves, lentos, mornos para o verão
Liguem os olhos vocês verão, vocês verão

De Vera, estou falando de Vera
De Vera, de Vera da primavera
De Vera, estou falando de Vera
De Vera, de Vera da primavera

Só me dá cansaço o passo o laço dos olhares côncavos
Só me dá cansaço o passo o laço dos olhares côncavos
De palavras castas, mudas, tardes, mortas para viajem
De ver as coisas as coisas primas da primavera

De Vera, estou falando de Vera
De Vera, de Vera da primavera
De Vera, estou falando de Vera
De Vera, de Vera da primavera
De Vera, estou falando de Vera
De Vera, de Vera da primavera






- Os Novos Bahianos - Compacto Simples (1970)


1- Volta que o Mundo dá



Volta que o Mundo dá
()

Eu não pretendo dizer a ninguém
Se eu serei para sempre assim
Se pela volta que o mundo dá
Ou se pela morte que tem que chegar
Coragem só falta, pra quem nunca tem
Na verdade só sabe quem é de ninguém
De mim só eu sei
Basta e não quero que ninguém me diga nada
Me ensine nada não, me diga nada, me ensine nada

Eu não pretendo dizer a ninguém
Se eu serei para sempre assim
Se pela volta que o mundo dá
Ou se pela morte que tem que chegar
Coragem só falta, pra quem nunca tem
Na verdade só sabe quem é de ninguém
De mim só eu sei
Basta e não quero que ninguém me diga nada
Me ensine nada não, me diga nada, me ensine nada






- Novos Bahianos - Compacto Duplo (1971)


1- Psiu
2- 29 beijos
3- Globo da morte
4- Mini planeta íris



Psiu
()

Psiu!?
Você não olha por que?
Olha pra mim!

O riso, a ginga, a pala andam comigo.

Você me vê de esguelha,
Você vermelha galha.

Troque a válvula!
Solte o leme!
Eu deitado ando pacas!

Eu só mando na minha pessoa!

E nas pessoas que eu mais gosto
Ninguém manda, não!



29 beijos
()

Eu não quero, não quero mais "preocupations" comigo
E nem de leve águas passadas
Canto e recanto de lágrimas no meu coração
Eu não quero não

Espero, espero
Espero lhe ver, lhe encontrar
Tenho 29 beijos pra lhe dar
Tenho 29 beijos pra lhe dar
Tenho 29 beijos pra lhe dar



Globo da Morte
(Moraes /Galvão)

O que me faz bem está
O que me faz bem está
Nos cantos pra onde pende meu corpo
E eu Do sol Os raio me chamam pro sol
Na terra Cobre o globo do meu raio
Enquanto eu sou o meu corpo
Enquanto cisco os pés no fogo
Ou enquanto risco e arrisco olho ao corte
Em qualquer parte em qualquer parte em do globo da morte
Do globo da morte
O que me faz bem está
O que me faz bem está
Nos cantos pra onde pende meu corpo eu
O que me faz bem está que me faz bem está
Nos cantos pra onde pende meu corpo
E eu
O sol
Os raio me chamam pro sol
Da terra Corre o fogo no meu raio
Enquanto eu sou o meu corpo
Enquanto cisco os pés no fogo
Ou enquanto risco arrisco olho ao corte
Em qualquer parte , em qualquer parte
Do globo da morte Do globo da morte
O que me faz bem está
O que me faz bem está
Nos cantos pra onde pende meu corpo
E eu O que me faz bem está
O que me faz bem está
O que me faz bem está
O que me faz bem está



Mini-planeta íris
()

Só nos seus olhos me vejo marrom,
Que bom, que bom
E eu me sinto, me sinto tão bem
No mini-planeta íris, em você, ah amor

Eu tomo um colorido que não está em mim,
E como um raio, um raio de sol, eu entro e saio
No mini-planeta íris, em você, ah amor

Tudo isso devia ter ficado no armário, ninguém tem nada...
Que os seus olhos sejam o espelho necessário
No mini-planeta íris, em você, ah amor.





- Novos Baianos + Baby Consuelo No Final do Juízo - Compacto Duplo (1971)


1- Dê um rolê
2- Você me dá um disco?
3- Caminho de Pedro
4- Risque



Dê um rolê
(Morais/ Galvão)

Não se assuste, pessoa
Se eu lhe disser que a vida é boa

Enquanto eles se batem
Dê um rolê e você vai ouvir
Apenas quem já dizia
Eu não tenho nada
Antes de você ser eu sou
Eu sou, eu sou
Eu sou amor
Da cabeça aos pés

E só tou beijando o rosto
De quem dá valor
Pra quem vale mais um gosto
De quem cem mil réis



Você me dá um disco?
()

Hei! Me das um disco?
Se doe
Muito mais que isso
E eu ti doe um bejo
eu ti doe
eu ti doe
Eu ti doe um bejo
Hei! Me das um disco?
Se doe
Muito mais que isso
E eu ti doe um bejo
Eu ti doe
Eu ti doe
Eu ti doe um bejo
Se eu dije que ir
És el verbo in camino ao infinito
Se eu digo que rir
És o lado mais bonito de me boca
E tu, eres tu, eres tu
Ali has ter ido
E tu, eres tu, eres tu
Ali hás ter ido
E tu, eres tu, eres tu
Hei! Me das um disco?
Se doe
Muito mais que isso
E eu ti doe um bejo
eu ti doe
eu ti doe
Eu ti doe um bejo

Você me dá um disco?
Dou sim
Muito mais que isso
Eu lhe dou um bejo
Eu le dou
Eu lhe dou
Eu lhe doe um bejo
Eu disse que ir
É o verbo no caminho do infinito
Eu disse que rir
E o lado mais bonito da minha boca
E você
E você
E vocë
Achou bonito
E você
E você
E você
Hei! Me das um disco?
Se doe
Muito mais que isso
E eu ti doe um bejo
eu ti doe
eu ti doe
Eu ti doe um bejo



Caminho de Pedro
(Morais/ Galvão)

Eclipse e luz,
Tocam e se tocam
Em dois no firmamento

Porque dois é um,
É um número!
Dois são os olhos,
Ouvidos, braços
E pernas do mundo

Do mundo de Pedro,
Do mundo de pedra
No caminho de Pedro,
Ou de pedras no caminho,
Ou no caminho de Pedro,
Por onde andando, nado, ando...
Eu ando sobre pedras!
Eu ando sobre as águas!



Risque
(Morais/ Galvão)

Risque
Não só de seu caderno,
De suas meias,
Ou de seus sapatos

Olhe, entre
Entre no fim do final do juízo
Entre no fim do final do juízo

De vida inteira
De inteira vida
Ôh! Mas pelo menos

Do seu caderno o céu

Risque do seu caderno o céu
Risque do seu caderno o inferno

Risque do seu caderno, o céu
Risque do seu caderno, o inferno





- Novos Baianos - Compacto Simples (1973)


1- No tcheco tcheco
2- Boas festas



No tcheco tcheco
()




Boas festas
(Assis Valente)

Anoiteceu
O sino gemeu
A gente ficou feliz a rezar
Papai Noel, vê se você tem a felicidade
Pra você me dar

Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel
Bem assim, felicidade
Eu pensei que fosse uma brincadeira de papel
Já faz tempo que pedi
Mas o meu Papai Noel não vem

Com certeza já morreu Ou, então felicidade
É brinquedo que não tem





- Novos Baianos - Compacto Simples (1973)


1- A minha profundidade
2- O prato e a mesa



A minha profundidade
(Morais/ Galvão/ Paulinho)

Você pode me prender o ano inteiro
E adiar o sol atrás de suas grades
Mas você bem sabe que nem malandro
Atinge a minha profundidade!
Vai ser jogo duro pra você Natália,
Cê vai comer ferro e vai pegar em baixo
Mas se vai lá, vai se rebolar e sofrer um bocado
Pra me achar nesses três dias, entre os mascarados

Não vai ser mole Natália!




O prato e a mesa
(Morais/ Galvão)

Esse ano,
Esse jogo,
Esse carnaval
Não vai ser fácil!

Você no chute,
Você é a bola!
No gol você se rebola!

Eu sou o ataque,
Você a defesa,
O prato e a mesa

Sendo eu menino
E você menina,
Somos algo mais
Que pierrot e colombina!

Uma conversa de velhos carnavais






- Os Novos Baianos - Compacto Simples (1976)


1- Ninguém segura este país
2- Ovo de Colombo (Loucrobiótica)





- Trio Elétrico Novos Baianos (1979)


1- Apotese do Trio pra Dodô
2- Alibabá Alibabou
3- Pra enlouquecer na praça
4- Casei no Natal, larguei no Reveillón



:: Vídeos ::

Dona Nita e Dona Helena (1970)



Sou mais você/ Curto de véu e grinalda (1970)



Preta pretinha (1973)



A menina dança (1973)



Brasil pandeiro (1973)



Mistério do Planeta (1973)



Samba da minha terra (1973)



Sorrir e cantar como Bahia (1973)



Brasil Pandeiro (1973)



Ladeira da Praça (1973)



Preta Pretinha (1973)



Linguagem do Alunte (1973)



Na cadência do samba (1974)



Vamos pro mundo/ Brasileirinho (1974)



Beija-flor (1976)



Ziriguidum (1976)



Praga de baiano (1976)



A menina dança (1997)



Eu sou o caso deles (1997)



Mistério do Planeta (1997)



Brasil Pandeiro (1997)



A menina dança (1997)



Anos 70 (1998)



Samba da minha terra (1998)



Dê um rolê (1998)





:: Links ::

Baby do Brasil
Portal SNZ
Sarah Sheeva
Zabelê Gomes

           

¤ Essa página foi criada por F®ëðy§ÑZ em homenagem ao grupo pós-tropicalista Novos Baianos - 2008 ¤